Novo relatório de cores automotivas da PPG destaca tendência de cores no mercado automobilístico

O relatório de popularidade de cores automotivas referente a 2021 da PPG destaca que 40% dos modelos mais produzidos no ano, na região da América do Sul, são da cor branca, seguidos pelas cores prata (17%), cinza (16%) e preta (14%). Na região, a popularidade dos carros no tom vermelho tem diminuído e passou de 9%, em 2015, para 6%, em 2021.

Segundo Lui Strambi Farina, colorista da PPG para o negócio de tintas automotivas, a escolha da cor está diretamente vinculada ao valor de revenda, que, por sua vez, está vinculado ao mix de oferta do mercado devido à popularidade. “Há também uma forte tendência global de carros em cores sólidas, que possuem custo de produção menor”, finaliza o executivo.

Cores mais vendidas no mundo

Globalmente, o branco (35% dos veículos fabricados) e o preto (18%) seguem sendo as escolhas predominantes de compradores de veículos, embora a demanda pelo cinza tenha crescido 2% em cada um dos últimos dois anos. As tonalidades de azul se mantêm fortes em 8%, enquanto as tonalidades vermelhas caíram para 7% dos veículos fabricados, o que foi causado por uma queda de 1,5% entre os consumidores norte-americanos.

Além disso, o estudo mostra a crescente popularidade das tonalidades cinza, verde e violeta, aplicadas em modelos esportivos, SUVs e caminhonetes.

O verde – com sua conexão com a natureza, a sustentabilidade e a inclusão – mantém-se forte no mundo todo. Vai continuar sendo um importante espaço de cor para a indústria automotiva. “O verde também é considerado uma cor de ‘sinal de trânsito’ e atua para todos como um indicador para seguir adiante, sendo uma cor segura e confiável”, explica Misty Yeomans, gerente de estilização de cores da PPG, OEM automotiva das Américas. Segundo ela, a cor possui duas direções: uma esportiva, revigorante e vívida, e outra orgânica e mais escura, com tonalidades mais profundas – desenvolvidas como verdes-escuras luxuosas com uma atitude esportiva e inovadora.

Personalização como tendência

A versão global do relatório também mostra o aumento da procura por acabamentos em cores personalizadas e em duas tonalidades, que vêm ganhando força entre compradores de automóveis.

O crescimento de acabamentos em duas tonalidades reflete o desejo dos consumidores de personalização. Progressos consideráveis na ciência das cores e em tecnologias de aplicação oferecem a oportunidade de levar essas escolhas de estilização ao público amplo de forma mais prática e sustentável. “Era esperado que acabamentos em duas tonalidades retornassem ao gosto dos consumidores nesta época em que olhamos para o passado como sociedade”, finaliza Yeomans.

Deixe uma resposta