Prolata coleta 535 mil quilos de latas de aço pós-consumo

Prolata Reciclagem, associação sem fins lucrativos criada pela Associação Brasileira de Embalagem de Aço (Abeaço Brasil), fechou 2021 com excelentes resultados na Baixada Santista. Ao todo, 535.000 quilos de latas de aço pós-consumo foram coletados para o reaproveitamento e destinação correta, o que diminui o impacto de resíduos sólidos no meio ambiente.

A associação encerrou o ano com 55 pontos parceiros (lojas de varejo de tintas e construção, localizados nos municípios de Santos, São Vicente, Cubatão, Guarujá, Praia Grande, Bertioga, Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe); 2 entrepostos parceiros localizados nos municípios de Itanhaém e São Vicente e 5 cooperativas de catadores parceiras nos municípios de Bertioga, Cubatão, Guarujá, Santos e São Vicente.

Além da gestão dos meios de recebimento de latas de aço pós consumo, a Prolata presta apoio às cooperativas parceiras. De acordo com Cristine Fulchini, coordenadora de cooperativas Prolata, o apoio prestado vai desde a regularização das cooperativas, passando pela doação de EPIs (equipamentos de proteção individual) à suporte para a adequação de layout produtivo. “A cooperativa ABC Marbas, de Cubatão, recebeu a intervenção de Kaizen, melhorando os fluxos de produção”, complementa Cristine.

Thais Fagury, presidente da ABEAÇO e diretora da Prolata, reconhece a importância das ações realizadas em 2021. “Fortalecer o sistema de logística reversa na região litorânea é um trabalho constante e, com o apoio dos nossos parceiros e do Ministério Público local, através do núcleo GAEMA da Baixada Santista, na figura da promotora de justiça Dra. Almachia Zwarg Acerbi, os resultados estão sendo bastante positivos para o meio ambiente”, afirma.

Lojas de tintas são muito importantes para o projeto

Desde o início da operação do Prolata na Baixada Santista, em 2019, foram coletadas, ao todo, 942 toneladas de latas de aço pós-consumo. O diretor de Operações da Associação Brasileira dos Revendedores de Tintas (Abrart), Salvador Nascimento, lembra que as lojas de tintas fazem parte deste processo. “O plano de ação definido no Termo de Cooperação Ambiental, assinado em novembro de 2018, entre o Grupo de Atuação Especial do Meio Ambiente (Gaema), do Ministério Público de São Paulo; a Artesp, a Abeaço, e a Abrafati definiu a implementação de Pontos de Entrega Voluntária (PEV) na Baixada Santista. O objetivo é garantir que as embalagens vazias possam ser coletadas e recicladas da forma correta, sem serem descartadas no meio ambiente e gerando valor para toda a cadeia de reciclagem, especialmente para os catadores”, explicou. “Baratão das Tintas, Tintas MC, Tintas São Miguel, Guaru Tintas, Tintas Belas Artes, Tintas Palmares, Passarela Tintas são alguns revendedores associados da Abrart que participam ativamente dos processos de logística reversa das latas”, completou.

Deixe uma resposta