Brasilux prepara expansão em fábricas de Matão, interior de São Paulo

Empresa de grande porte e 100% nacional, a Brasilux é fabricante de tintas, vernizes e resinas que, desde sua fundação, há 27 anos, cresceu sem parar. E ainda pretende continuar: está se preparando para entrar em 2021 com um plano de expansão e modernização de suas instalações e processos industriais com o objetivo de se tornar a maior fabricante de tintas do ranking de nacionais do setor – hoje está entre as cinco – em um prazo de até cinco anos.

Na nova fábrica a Brasilux se prepara para aumentar, no mínimo, em cinco vezes a produção de tintas imobiliárias e em quatro vezes a produção de tintas industriais com ênfase na tinta em pó eletrostática TGIC free, um produto cuja tecnologia foi desenvolvida pela Brasilux que hoje á única fabricante dessa tinta na América Latina.

Para isso já vem se preparando, a partir da mudança do parque fabril que ocupa atualmente em Matão, interior de São Paulo, de 100 mil metros quadrados de área total, 50.000 m2 construídos, onde possui quatro plantas (a Brasilux tem quatro no interior de São Paulo e uma no Paraguai), para uma área de 400 mil metros quadrados, 120.000 m2 de área construída, no Distrito Industrial do município.

Pelo menos R$ 100 milhões devem ser investidos nos próximos cinco anos neste projeto. A mudança tem como objetivo melhorar a logística e a produtividade da empresa e obter posterior economia de custos, que pode chegar a 20%.  Além disso, a empresa aposta fortemente no desenvolvimento de produtos de alta tecnologia e ecologicamente corretos para essa arrancada que pretende imprimir.

Pandemia e ano de 2020

A empresa, que não teve problemas com a pandemia do coronavírus, a não ser inicialmente, se beneficiou do momento para crescer. “Acreditamos que algumas alterações de comportamento podem ter beneficiado o setor”, afirma a diretora-presidente Kelly Diniz, que divide a liderança da empresa com Caio Panegossi e Rui Pontes.

Segundo ela, as medidas de proteção por parte da população, que incluem trabalhar em home office, estudar online e evitar aglomerações, estão gerando uma inversão de hábitos. As características das moradias estão mudando. As pessoas estão buscando espaços maiores para viver e com isso está havendo um aumento das reformas e construções, com mais conforto e para atividades dentro de casa, como refeições, escritório e lugar para ginastica, dentre outros”.

De acordo com Kelly, uma vantagem da empresa nesse período foi ser considerada setor essencial pelo governo e também o fato de atuar em vários segmentos: industrial, imobiliário, automotivo e moveleiro. A executiva explica que dentro da empresa houve um equilíbrio natural de desempenho entre as linhas de produtos e uma migração para os segmentos mais aquecidos. “A construção civil está com muita demanda, assim como os segmentos agrícola e rodoviário, mercado em que temos uma participação importante. Assim, a queda inicial foi compensada ao longo dos meses e, ao final, acabamos crescendo como um todo”.

Em 2020, abril foi o mês de maior impacto. Em maio o faturamento ficou dentro do previsto e junho e julho as vendas superaram os respectivos meses do ano anterior.

Os planos para 2021

“A tecnologia, inovação e produtos ecologicamente corretos foram sempre prioridades para a Brasilux”, como ressalta a diretora-presidente Kelly Diniz. As tintas mais bem elaboradas exigem muita tecnologia e a Brasilux desenvolveu, dentre outras, uma linha de tinta em pó eletrostática, a partir de uma resina de grande eficiência no processo produtivo, inédito no mercado sul-americano. “Foi um desenvolvimento pioneiro na América do Sul e livre de uma substância considerada tóxica (TGIC), tecnologia já utilizada na Europa há mais de 15 anos”. A empresa também foi pioneira no País ao lançar uma tinta imobiliária que cobre com uma única demão e também foi uma das primeiras a lançar esmalte à base de água.  “Em fevereiro devemos lançar uma nova linha automotiva, que tem tido uma excelente aceitação nos testes preliminares que estamos fazendo junto a potenciais clientes”, revela.

A ideia básica da Brasilux é centralizar, no Distrito Industrial de Matão, todas as atividades atuais em uma só planta. Isso inclui trazer a fábrica de resina para mais perto das fábricas de tintas e trazer também para perto a Dissoltex (fábrica de tinta em pó e produtos para tratamento de couro), situada em São Carlos (SP). “O projeto está em andamento e estamos em conversações com o poder público para que as obras tenham início no primeiro semestre de 2021. “Já demos o start, mas será uma mudança gradual: vamos começar pela área de logística e produção de produtos base água, passando para o novo espaço de forma organizada”, diz a executiva. As mudanças a serem implementadas na planta serão acompanhadas de incremento na modernização, 100% automatizada. A empresa já está implantando, por exemplo, vários RPAs, robozinhos virtuais de inteligência artificial, para auxiliar o trabalho nas fábricas e na área administrativa. “Acompanhamos de perto toda a evolução tecnológica”.

Responsabilidade social

Houve espaço até para praticar uma nova ação de responsabilidade social, uma das diretrizes da Brasilux. Em setembro último a empresa lançou a campanha Verde Esperança, voltada para a área social, com o intuito de arrecadar fundos para o Hospital de Amor, mais conhecido como Hospital do Câncer de Barretos, no interior paulista. Ele é uma referência nacional e internacional no tratamento do câncer e atende gratuitamente a população da região e de outros pontos do País, utilizando tecnologia de ponta.  A campanha, que não tem data para acabar, consiste em reverter para a instituição parte da venda de cada lata ou galão de todos os tons de verde da linha VERDE ESPERANÇA, acrílico Premium (tinta imobiliária), em uma iniciativa inédita no setor de tintas. Uma grande campanha nacional foi desenvolvida, abrangendo desde ações nos pontos de venda até em outdoors, placas de estrada, busdoors, spot de rádio, redes sociais e presença na televisão. O hospital receberá bimestralmente o resultado da venda gerada.

A expectativa da empresa com essa campanha, em termos de marketing, é massificar sua imagem e tornar-se ainda mais conhecida nacionalmente, ao mesmo tempo em que ajuda aqueles que precisam.  “Nós tivemos um contato anterior com o Hospital, em 2019, quando destinamos uma parcela das vendas para a campanha Outubro Rosa e novembro Azul. Mas agora teremos uma ação mais duradoura; queremos fazer a diferença”, afirma Kelly Diniz.

História de sucesso

Desde sua fundação, a história da Brasilux foi pautada por um crescimento constante, mesmo em períodos de crise. As primeiras atividades e linhas de produção começaram em Matão, em 1993, com a produção de esmalte sintético industrial. Com a necessidade de expansão, os sócios construíram o centro de distribuição em Guarulhos, adquiriram a Dissoltex em São Carlos e iniciaram atividades no Paraguai, onde possuem uma fábrica de tintas e complementos imobiliários, que produz e distribui para o mercado interno. As linhas de produtos imobiliários, automotivos, industriais e moveleiro são comercializadas em todo o Brasil, em toda a América Latina e em alguns países africanos, a partir da fábrica de Matão.

Deixe uma resposta