O setor de varejo busca por novas estratégias de vendas

O varejo está em um momento de preparação para uma retomada parcial de acordo com decretos dos estados e dos municípios. Mas, alguns questionamentos ainda permeiam os varejistas, por exemplo, qual estratégia adotar, se os clientes irão ter maior presença no modo on-line, aluguel, manutenção da loja, entre outros fatores.

Afinal, neste período de quarentena, muitos iniciaram uma nova fase de vendas via e-commerce para sobreviver e manter a empresa viva. A Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (Abcomm) registra que no país houve o surgimento de 107 mil novas lojas virtuais, equivalendo a um nascimento de e-commerce por minuto. Além do levantamento da Cashback World que registra o aumento de 73% no aumento em compras on-line, comparando fevereiro e março. E o ramo de marketplace foi o mais procurado e acessado com 242% vendas.

Este é um cenário do novo conceito de consumidor, o omnichannel, que busca um relacionamento com a empresa de modo físico e virtual, dependendo da compra que deseja realizar. Pode ser uma estratégia para o varejo iniciar uma diversificação e aprimorar os seus serviços para oferecer a melhor experiência ao cliente. Ou seja, a venda por e-commerce a física não se exclui e, sim, são complementares.

Atualmente, já existem uma vasta opção de ferramentas para auxiliar em todos os tipos de vendas, como programas de fidelidade e benefícios de compra. São recursos voltados para ajudar o micro, pequeno e o médio empreendedor a entender o seu público, observar as preferências para gerir o melhor negócio no e-commerce e no estabelecimento físico.

Deixe uma resposta