Comércio reabre as portas na cidade de São Paulo

A Prefeitura de São Paulo vai autorizar o funcionamento do comércio de rua a reabrir a partir desta quarta-feira (10). O anúncio deve ser feito ainda nesta tarde (9) pelo prefeito Bruno Covas (PSDB). A reabertura dos shoppings será permitida a partir de quinta-feira (11). A liberação também será concedida às imobiliárias da cidade.

Tão logo haja a confirmação oficial, via Decreto Municipal a Associação dos Revendedores de tintas (Artesp) irá comunicar.

Para que os comerciantes tenham o retorno assegurado, eles devem obedecer a um protocolo de cuidados com higienização, manutenção de distanciamento, redução da capacidade de lotação das lojas, e recomendações para redução da mão de obra (funcionários) presencial com a manutenção de atividades em home-office. Tudo para evitar um novo movimento crescente de casos da Covid-19.  Há o temor de um novo crescimento na chamada curva de infestação e consequente retorno das restrições. Esse protocolo é reproduzido por um e-book divulgado pela Fecomércio que está anexo.

Além das medidas protocolares, o comércio de rua da Capital de São Paulo terá o funcionamento em jornada reduzida (das 11 às 15 horas).

Salvador Nascimento, diretor de Operações da Artesp, lembra que o retorno das atividades deve obedecer às regulamentações municipais. “Desde o começo das restrições impostas ao comércio, a Artesp mantém seu entendimento que as lojas de tintas fazem parte da cadeia de suprimentos à atividades essenciais (construção civil, manutenção e limpeza) e assim nossa categoria – ressalvadas disposições expressas em contrário pelas autoridades municipais locais – manteve parte da sua atividade em funcionamento desde o início da quarentena decretada”, afirmou.

“Prova desse compromisso é a edição do protocolo acima mencionado que praticamente reedita o publicado pela Artesp ainda em março, no início do processo restritivo. Isso mostra que a categoria do varejo especializado em tintas sempre esteve no caminho certo e responsável, ainda que com prejuízos na sua atividade comercial”, finalizou.

Deixe uma resposta