IMG_0837

A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), que mobiliza as atenções da indústria de tintas nos últimos anos, foi o tema principal do Seminário Anual de Sustentabilidade da Associação Brasileira de Fabricantes de Tintas (Abrafati), realizado nesta terça-feira (7), em São Paulo.

Durante o evento, foi possível conhecer também como o setor enxerga a sustentabilidade dentro de sua estratégia, a partir de um estudo que está sendo desenvolvido para definir os caminhos que serão trilhados nessa área.

A programação foi acompanhada por mais de 70 profissionais ligados ao setor, que puderam compartilhar informações de grande relevância.

O deputado federal Arnaldo Jardim, relator da PNRS, falou sobre os avanços trazidos por essa legislação e os desafios existentes. Destacou a importância da inovação tecnológica para o tratamento desses resíduos, de novos mecanismos para o atendimento da Política e da educação ambiental da sociedade.

Por sua vez, Mario Hirose, diretor do Departamento de Desenvolvimento Sustentável da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), apresentou o sistema criado por essa instituição para a logística reversa de embalagens, que já está em funcionamento e conta com a adesão de mais de 700 empresas em todo o Brasil.

Já Max Silva, da Fundação Espaço Eco, mostrou os principais pontos do estudo de materialidade e percepção do setor de tintas que está sendo desenvolvido para a Abrafati. Esse trabalho visa proporcionar mais clareza em relação aos temas chave em sustentabilidade, como base para nortear o planejamento estratégico da Associação.

 

 

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.