PPG mantêm os bons resultados em meio a crise

A PPG Industries divulgou recentemente as vendas líquidas obtidas com suas operações normais de US$ 3,87 bilhões no terceiro trimestre de 2015 contra US$ 3,94 bilhões registrados no ano anterior. As vendas líquidas em moedas locais cresceram 6%, ou aproximadamente US$ 250 milhões em relação ao mesmo período ano anterior, inclusive com uma contribuição de 7% das vendas relacionadas a aquisições, que foram ofuscadas por uma queda de 1% no volume de vendas. Comparadas ao mesmo período do ano anterior, a conversão cambial desfavorável reduziu as vendas líquidas em cerca de 8%, ou seja, quase $ 310 milhões.

 

O resultado líquido decorrente de operações normais no terceiro trimestre de 2015 foi de US$ 433 milhões, ou $ 1,59 por ação diluída, e o resultado líquido ajustado decorrente de operações normais foi de US$ 439 milhões, ou $1.61 por ação diluída, estabelecendo um novo recorde do terceiro trimestre para a empresa. O resultado líquido decorrente de operações normais no terceiro trimestre de 2015 inclui encargos pós-tributação relacionados a despesas previdenciárias e custos de transações de $6 milhões, ou 2% por ação diluída.

 

No final do terceiro trimestre, a PPG registrou aproximadamente US$ 1,4 bilhão em caixa e investimentos de curto prazo, o que representou uma queda de US$ 3 bilhões em relação ao mesmo trimestre do ano anterior em virtude de ações voltadas à utilização do caixa. Durante o trimestre, a PPG recomprou US$ 150 milhões, ou cerca de 1,5 milhão de ações da empresa. Até o momento, a PPG recomprou cerca de US$ 500 milhões em ações da empresa, contra US$ 450 milhões em 2014. A PPG ainda tem, aproximadamente, US$ 1,2 bilhão restantes de sua autorização de recompra de ações aprovada em 2014.

 

As vendas líquidas do segmento de tintas de alto desempenho no trimestre foram de US$ 2,24 bilhões, com queda de menos de 1% em relação ao mesmo período do ano anterior. As vendas relacionadas a aquisições, inclusive da Comex e outras menores, contribuíram com cerca de US$ 210 milhões, ou 9%, para as vendas líquidas, em relação ao mesmo trimestre do ano anterior. A conversão cambial desfavorável reduziu as vendas líquidas em cerca de 8%, ou seja, quase $190 milhões, em relação ao mesmo período do ano anterior, e as vendas do segmento caíram 3%. O crescimento das vendas orgânicas se manteve no setor de tintas de acabamento dos setores aeroespacial e automotivo, impulsionado pelo aumento da demanda e pela adoção contínua de tecnologias inovadoras da PPG pelo cliente. Tintas decorativas – as vendas orgânicas na região da EMEA (Europa, Oriente Médio e África) permaneceram estáveis em relação ao ano anterior. Tintas decorativas – as vendas caíram nas Américas e na Ásia Pacífico, na maior porcentagem de um dígito, refletindo a fraca demanda regional no Canadá e o impacto da gestão transitória dos estoques da maioria dos clientes de varejo e distribuidores independentes nos Estados Unidos e Canadá. As vendas do setor de tintas protetoras e marítimas cresceram sutilmente em relação ao ano anterior, sendo que os ganhos do setor de tintas protetoras foram ofuscados pela queda da demanda do setor marítimo. A receita do segmento foi de US$ 379 milhões, um aumento de US$ 34 milhões, ou 10%, em relação ao mesmo período do ano anterior, tendo as aquisições e o melhor desempenho operacional e dos custos contribuído para isso. A receita líquida do segmento caiu cerca de $ 25 milhões em relação ao ano anterior, devido ao câmbio desfavorável. Em moedas locais, o segmento cresceu 17% em relação ao mesmo período do ano anterior.

 

As vendas líquidas do segmento de tintas industriais no trimestre foram de US$ 1,35 bilhão, com queda de 3% em relação ao ano anterior. As vendas do segmento aumentaram 2% em relação ao mesmo período do último ano, permanecendo consistente com o trimestre anterior. As vendas relacionadas a aquisições somaram cerca de US$ 50 milhões, mas foram ofuscadas pela conversão cambial desfavorável, que levou a uma queda de 8%, ou US$ 110 milhões, das vendas líquidas em relação ao mesmo período do último ano. A divisão de tintas automotivas para fabricantes de equipamentos originais registrou crescimento das vendas na América do Norte, Europa e Ásia, com aumento total na faixa média das porcentagens de um dígito em relação ao mesmo período do último ano, permanecendo consistente com o semestre anterior e superando a taxa de crescimento mundial do setor no trimestre, que foi de aproximadamente de 1%. As vendas das divisões de tintas industriais, tintas especiais e materiais também caíram cerca de 2% em relação ao mesmo período do último ano, registrando um desempenho similar ao trimestre anterior, mesmo com uma demanda industrial global fraca. As vendas de tintas para embalagens ultrapassaram as vendas do mesmo trimestre do ano anterior nas faixas de média a alta das porcentagens de um dígito, inclusive com benefícios gerados pela adoção de novas tecnologias de produção de tintas da PPG pelo setor. A receita total do segmento no trimestre foi de US$ 241 milhões, um aumento de $1 milhão em relação ao mesmo período do ano anterior. Esse aumento decorreu do impacto dos ganhos decorrentes do aumento das vendas e da redução dos custos de produção, mas foi parcialmente ofuscado por US$ 15 milhões decorrentes da conversão cambial desfavorável. Em moedas locais, o segmento cresceu 7% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

 

As vendas líquidas do segmento de vidros no trimestre foram de US$ 278 milhões, com queda $5 milhões, ou 2%, em relação ao mesmo período do ano anterior. Os aumentos dos preços em ambos os segmentos de vidro foram ofuscados pela conversão cambial desfavorável que impactou as vendas líquidas em cerca de $10 milhões. As vendas do segmento cresceram na faixa baixa das porcentagens de um dígito em relação ao ano anterior, impulsionadas pelo aumento da demanda de fibra de vidro na América do Norte, mas ofuscadas pela venda de uma fábrica de vidros planos em 2014. A receita do segmento foi de US$ 32 milhões, com uma queda de US$ 1 milhão em relação ao ano anterior, pois os preços favoráveis foram ofuscados pelos custos relacionados a problemas de energia na fábrica, despesas previdenciárias mais altas em relação ao ano anterior e US$ 5 milhões de impacto cambial. Em moedas locais, o segmento cresceu 12% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

 

As despesas corporativas e outras despesas legadas no trimestre caíram cerca de US$ 10 milhões em relação ao ano anterior, principalmente como resultado da queda dos custos variáveis e da remuneração em ações.

 

Para o terceiro trimestre de 2015 a tributação efetiva ajustada sobre as operações normais foi de 24,5%, contra 24% no terceiro trimestre de 2014, principalmente devido à inclusão da receita líquida decorrente da aquisição da Comex.

 

Diante os bons resultados, Rodrigo Schepf, diretor Nacional de Vendas & Marketing de Tintas Arquitetônicas da PPG do Brasil, recebeu a reportagem da Pintou na Artesp, para revelar os segredos do sucesso da empresa.

 

Qual a formação profissional do senhor? Qual foi a trajetória dentro da PPG até chegar ao atual cargo?

R: Sou administrador de empresas com especialização em finanças. Iniciei na PPG em meu cargo atual há 3 anos e meio, mas construí minha carreira profissional durante quase 20 anos em diversos cargos de Vendas e Marketing no mercado de bebidas e alimentos em praticamente todos os cantos do Brasil.

 

Recentemente, a PPG divulgou os números do terceiro trimestre. Apesar da crise econômica mundial, foram positivos. Qual o segredo da empresa?

R: O segredo é trabalho duro! Acreditamos que temos que encantar nossos clientes com um serviço excelente e do outro lado temos que cuidar nossos custos sem abrir mão da qualidade excepcional de nossos produtos.

 

Qual a importância do Brasil neste resultado?

O Brasil tem uma parcela importante neste resultado uma vez que contribuímos há 3 anos consecutivos com resultados superiores. Isto gera confiança em nossa matriz com o trabalho no Brasil e abre boas expectativas de investimentos para o futuro.

 

O Brasil impõe dificuldades diferentes dos demais países que a PPG atua? Quais? Há facilidades também?

Acreditamos que as dificuldades do Brasil são iguais para todos no mercado de tintas e procuramos alternativas inteligentes para superá-las. Este é o nosso papel.  Não basta fazer o papel de reclamar de tudo, pensamos diferente. Criamos nossos próprios desafios e vamos em busca de nossas metas.

 

Qual a previsão para 2016?

As previsões são conservativas, porém positivas. Acreditamos muito em nossas estratégias que foram construídas para este cenário que estamos passando. Para 2016 não será diferente, teremos um ano muito duro e de muito trabalho.

 

A PPG tem uma política especial para os revendedores? Quais são?

R: Temos uma política comercial muito clara e muito definida, onde as regras de preços e contrapartidas de serviço são claramente conhecidas por todos os nossos clientes.

Deixe uma resposta