image002 (2)

Exposição dos selecionados e anúncio dos premiados do 6º Prêmio de Arquitetura Instituto Tomie Ohtake Akzonobel começam hoje

Os 12 projetos selecionados na categoria profissionais e mais três na categoria universitários fazem parte da exposição do 6º Prêmio de Arquitetura Instituto Tomie Ohtake AkzoNobel. Nessa edição foram inscritos 391 projetos, provenientes de 17 Estados brasileiros e Distrito Federal, sendo 282 Profissionais e 109 Universitários, categoria que estreia esse ano. Entre os selecionados há obras localizadas em São Paulo, Rio de Janeiro, Tocantins, Distrito Federal, Mato Grosso, Maranhão e Uruguai.

Na abertura da mostra, dia 17 de outubro, serão anunciados os projetos que serão premiados com viagens internacionais (Profissionais) e estágio em escritório de arquitetura renomado (Universitários). Os trabalhos reunidos na exposição serão registrados em um catálogo. O júri desta edição foi formado pelos arquitetos Helena Aparecida Ayoub Silva; Héctor Vigliecca; Joice Berth; Pedro Vada e Priscyla Gomes.

Na exposição estão os projetos que concorrem nas duas categorias ao 6º Prêmio de Arquitetura Instituto Tomie Ohtake AkzoNobel:

PROFISSIONAIS

A Praia e o Tempo / Rio de Janeiro – RJ; gru.a (grupo de arquitetos); Pedro Varella

Beacon School / São Paulo – SP; Andrade Morettin; Vinicius Andrade, Marcelo Morettin, Marcelo Maia Rosa e Renata Andrulis | GOAA Gusmão Otero Arquitetos Associados; Guido Otero e Ricardo Gusmão

Capela em Sacromonte / Sacromonte, Maldonado, Uruguai; MAPA Arquitetos

Casa 239 / São Paulo – SP; Una Arquitetos; Cristiane Muniz, Fábio Valentim, Fernanda Barbara e Fernando Viégas

Casa das Birutas / Piracaia – SP; Gera Brasil Arquitetura e Consultoria; Karen Miyabe Ueda, Nilce Pinho e Antonio Carlos Vissotto Jr.

Casa Pequi / Palmas – TO; Perelopes Arquitetura; Renato Pereira Lopes e Danielly Daudt Fontoura

Casa Vila Rica / Brasília – DF; Bloco Arquitetos; Daniel Mangabeira, Henrique Coutinho e Matheus Seco

Coberturas no Xingu / Canarana – MT; Gustavo Utrabo

Estação São Paulo – Morumbi     / São Paulo – SP; 23 SUL; André Sant’Anna da Silva, Gabriel Manzi, Ivo Magaldi, Lucas Girard, Luís Pompeo, Luiz Florence, Moreno Zaidan, Rafael Urano e Tiago Oakley; Consórcio HNL

Pavilhão Nuvem / Belo Horizonte – MG; Arquitetos Associados; Alexandre Brasil, André Prado, Bruno Santa Cecília, Carlos Alberto Maciel e Paula Zasnicoff

Renovação da Biblioteca Monteiro Lobato / São Bernardo do Campo – SP; MMBB Arquitetos; Marta Moreira e Milton Braga

Sede Castanhas de Caju / Bom Jesus das Selvas – MA; Estudio Flume; Christian Naoyuri Teshirogi e Noelia Monteiro

UNIVERSITÁRIOS

Da ocupação se faz arquitetura / Francisco Lucas Costa Silva; Orientadora: Solange Maria de Oliveira Schramm; Universidade Federal do Ceará – UFC

Morro da viúva: paisagem sufocada / Eduardo de Carvalho Romano; Orientadores: Gabriel Duarte, Marcos Favero, Luciano Alvares e Leonardo Lattavo; Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro – PUC-RIO

Praça das águas / Danielle Khoury Gregorio e Raquel Khoury Gregorio; Universidade Presbiteriana Mackenzie

Com o Prêmio dedicado a profissionais, o Instituto Tomie Ohtake e a AkzoNobel continuam a mapear a produção arquitetônica contemporânea, ao destacar, pelo sexto ano consecutivo, projetos significativos construídos no panorama atual brasileiro. A relação urbana e o comprometimento com o sítio de implantação e a sustentabilidade, bem como a inventividade projetual e construtiva são os critérios fundamentais que norteiam a premiação.

Já a categoria universitários, exclusiva para estudantes de arquitetura submeterem projetos não construídos, os trabalhos responderam ao tema: “Revitalização, Requalificação, Renovação”. Participaram universitários regularmente matriculados em cursos de arquitetura de nível superior, reconhecidos ou autorizados pelo MEC, brasileiros ou estrangeiros residentes no país há pelo menos dois anos

O Prêmio de Arquitetura Instituto Tomie Ohtake AkzoNobel desde a sua primeira edição (2014), recebeu 1.155 projetos inscritos. Na edição passada, 2018, o 1º lugar ficou com Héctor Vigliecca, (Vigliecca & Associados) com o projeto Parque Novo Santo Amaro V (São Paulo – SP), enquanto Rodrigo Calvino (C + P Arquitetura) foi o segundo colocado, com o Hostel Villa 25 (Rio de Janeiro- RJ), e Carlos M. Teixeira (Vazio S/A) foi o terceiro, com o projeto Casa no Cerrado (Moeda – MG).

Sobre o Prêmio

O Prêmio busca reconhecer as produções arquitetônicas de destaque na cena contemporânea brasileira, valorizando as formas inovadoras de pensar e construir o espaço social, contribuindo, assim, com o desenho do panorama atual da arquitetura nacional nos seus mais variados contextos. Os projetos selecionados participam da exposição na sede do Instituto Tomie Ohtake, registrada em catálogo, e os vencedores, anunciados na inauguração da mostra, são contemplados com viagens internacionais e estágio em escritório de arquitetura. A partir da sexta edição foi introduzida a categoria estudantes.

O Prêmio de Arquitetura Instituto Tomie Ohtake AkzoNobel é resultado de uma parceria entre o Instituto Tomie Ohtake e a AkzoNobel, multinacional holandesa que atua nos segmentos de tintas, revestimentos e especialidades químicas, e se insere nas perspectivas do Instituto, enquanto instituição cultural, ao promover iniciativas no campo da arquitetura, do urbanismo, das artes plásticas e do design.

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.