AkzoNobel_Estacao tratamento agua de reuso _ principal

AkzoNobel Tintas Decorativas anuncia iniciativa “Água: essência da cor”

Tendo como marco o Dia Mundial do Meio Ambiente, a divisão de Tintas Decorativas da AkzoNobel anuncia a operação, em sua fábrica de Mauá, na Grande São Paulo, de uma estação de tratamento de água de reuso – um investimento na ordem de R$ 10 milhões. Ao passar por processos físico-químico e biológico, mais a fase de ultrafiltração, o efluente surge com ótima qualidade, podendo, inclusive, ser reutilizado na produção de tinta. Além disso, a dona das marcas Coral e Sparlack inicia, neste mês, o plantio de 12 mil mudas da Mata Atlântica em cerca de 6 hectares de sua Reserva Tangará, regulando o fluxo hídrico e melhorando a qualidade da água das nascentes. Com isso, a companhia passa a acelerar o uso de suas fórmulas à base de água (as quais têm menor impacto ambiental versus aquelas à base de solvente), enquanto utiliza menos água de suas nascentes (graças ao reuso da água na produção de tinta) e melhora a qualidade de seus produtos. Todas as iniciativas estão em linha com a estratégia de sustentabilidade global da AkzoNobel, chamada “Planet Possible” (“Planeta Possível”) – pela qual a empresa se compromete a fazer mais com menos – e focam em um ingrediente essencial: a água.

AkzoNobel_Estacao tratamento agua de reusoLíder no Índice Dow Jones de Sustentabilidade por quatro anos consecutivos (de 2011 a 2015) e entre os top 10 da categoria por 11 anos, a AkzoNobel trabalha para reduzir seus impactos ambientais, sendo um dos principais deles a emissão de compostos orgânicos voláteis (COV), que pioram a qualidade do ar e colaboram para o efeito estufa. Dessa maneira, a empresa promoverá diversas ações para que, até 2020, ao menos 20% de seus esmaltes, vernizes e especialidades sejam de formulação à base de água – praticamente dobrando o valor atual. Os benefícios são muitos, como sustenta Elaine Poço, diretora de Desenvolvimento e Sustentabilidade da AkzoNobel Tintas Decorativas para América Latina. “Um esmalte à base de água tem baixíssima emissão de COV: 90% menos em relação a um à base de solvente. Já as emissões de CO2 são 45% inferiores. E há benefícios também aos usuários: esses produtos não amarelam com o tempo, possuem secagem mais rápida e não têm cheiro. Em suma: com alta tecnologia agregada, eles oferecem ótimo desempenho com menor impacto ambiental”, argumenta.

AkzoNobel_Estacao tratamento agua de reuso1Ao contrário do que se poderia supor, graças ao investimento na estação de tratamento de água de reuso, o aumento do portfólio de produtos à base de água não significará um consumo maior desse recurso natural. “Nós fabricaremos mais litros de produtos à base de água utilizando menos água das nascentes. Isso porque a nova estação nos permitirá reutilizar na produção de tinta mais água do que consumiremos com o aumento das vendas desses produtos”, reforça Daniel Campos, presidente da AkzoNobel Tintas Decorativas para América Latina. E completa: “Garantimos o uso racional deste ingrediente essencial que é a água com um olhar sobre seu ciclo completo. Estamos desenvolvendo ações e projetos inovadores, em um movimento contínuo e irreversível que pode ser sintetizado em uma grande iniciativa, ‘Água: Essência da Cor’”, explica. “Produtos à base de água, reuso da água e melhora da qualidade da água formam o tripé que fortalece e diferencia essa iniciativa”.

Reuso da água

àgua essencia da corJá em operação, a estação de tratamento de água de reuso, com equipamentos modernos e sofisticados, combina o processo físico-químico com o biológico, e ainda conta com a fase de ultrafiltração. De forma simplificada, o processo físico-químico consiste na adição de reagentes que promovem a decantação de partículas, o que forma um lodo mais facilmente removido. Esse material é enviado para reciclagem em outra empresa. Na sequência, o efluente sanitário junta-se ao efluente físico-químico para receber o tratamento biológico, que é o sistema de lodos ativados. As bactérias ali presentes degradam cerca de 90% dos poluentes orgânicos. As estações de tratamento convencionais geralmente param aí; a de Mauá, porém, possui um tanque com membranas de ultrafiltração. Os poros da membrana de 0,00008mm são capazes de reter até mesmo vírus e bactérias.

“A qualidade do efluente pós-tratamento é bastante elevada. Isso indica que será possível reutilizar a água inclusive para fabricação de tinta”, declara Elaine. E adiciona: “Há diversas possibilidades, mas, para todas as opções levantadas, serão conduzidos testes a fim de garantir a segurança no processo fabril e a qualidade do produto final. É um trabalho que envolve diferentes áreas da empresa – Plantas Produtivas, Engenharia e Laboratórios de Pesquisa e Desenvolvimento.” Atualmente, a água de reuso tem sido direcionada a tarefas como lavagem de pisos e equipamentos. Para 2017, há a previsão de reutilizar 10% da água gerada; em 2018, o índice subirá para 40%; e em 2020, a meta é atingir 100%.

Origem da água

A AkzoNobel Tintas Decorativas começou, em 2017, a segunda fase do projeto Reserva Tangará, que visa aumentar a conservação ambiental por meio da substituição de parte do eucalipto (espécie que não pertence ao bioma brasileiro) por vegetação da Mata Atlântica. Agora, o foco é o reflorestamento de uma área de cerca de 6 hectares. Parte do eucalipto já foi removida, e, a partir deste mês de junho, serão plantadas, no lugar, 12 mil mudas de plantas nativas. “Cerca de 35 hectares foram reflorestados desde 2007. Um estudo feito em 2015 revelou que a mata está se recuperando, restando apenas uma área mais íngreme. É aí que atuaremos nessa nova etapa”, explica Elaine Poço.

A Mata Atlântica abastece os principais mananciais do estado de São Paulo. Ela ajuda a manter o ciclo hídrico e melhora a qualidade da água. “A Reserva Tangará, que é um fragmento dessa mata, possui duas nascentes, e uma delas fornece água para a represa de onde vem a água usada para fabricar nossas tintas”, esclarece a diretora. A floresta também contribui para o combate às mudanças climáticas (estoque de carbono), para a melhora da qualidade do ar e para a conservação da biodiversidade. Hoje, existem nessa área de 70 hectares cerca de 300 espécies da fauna e flora.

“A água é um ingrediente essencial à vida na Terra. Estudos indicam que, caso não seja tomada nenhuma ação diferente com relação à sua gestão, enfrentaremos um déficit de até 40%*. Por esse contexto e em linha com seu compromisso em contribuir para um ‘Planeta Possível’, a AkzoNobel instituiu a iniciativa ‘Água: Essência da Cor’, com um conjunto de medidas que ajudam na conservação do meio ambiente e na existência de recursos para as gerações futuras”, finaliza Daniel Campos.

*ONU, 2015. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0023/002318/231823E.pdf

Comments are closed, but trackbacks and pingbacks are open.